http://boletim.mdt.org.br/portal/SiteAssets/BnnrBltmaprvd1811.jpg
Número 149-Novembro 2018

Nesta Edição

Em 17 de dezembro, Assembleia Geral concluirá eleição do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal do Instituto MDT para a gestão 2019/2021. Em seguida, serão eleitos presidente e vice.
p
Na segunda-feira, 17 de dezembro de 2018, acontecerá na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), em São Paulo, a Assembleia Geral Extraordinária para eleição do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal do Instituto MDT para a gestão 2019/2021. A votação se encerrará às 16 horas. Também nesse dia acontecerá a reunião do Conselho Diretor para a eleição do presidente e do vice-presidente. O novo mandato terá início em 1º de janeiro de 2019, prolongando-se até 31 de dezembro de 2021. .

p
Etapas preliminares do processo eleitoral foram cumpridas na segunda quinzena de outubro, com a convocação da Assembleia Geral Extraordinária para 17 de dezembro, e o início e o encerramento do prazo para inscrição de chapas. Em 7 de novembro de 2018, houve a divulgação da única chapa inscrita e apta a concorrer. Em 14 de novembro encerrou-se o prazo para quitação de débitos dos associados referentes ao exercício de 2018 e em 16 de novembro foi feita a divulgação da relação de associados aptos a votar e a serem votados. O dia 7 de dezembro é a data limite para postagem nos correios de votos por correspondência.

p
Ler em página de impressão
Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal concede ‘Premio Lúcio Costa de Personalidade do Ano – Categoria de Mobilidade’ a Nazareno Stanislau AffonsoO arquiteto e urbanista Nazareno Stanislau Affonso, diretor nacional do Instituto MDT, receberá o Premio Lúcio Costa de Personalidade do Ano – Categoria de Mobilidade, concedido pela Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), da Câmara Federal, em reconhecimento ao trabalho desenvolvido em prol da Mobilidade Sustentável, A entrega do acontecerá em solenidade na Câmara Federal em 11 de dezembro de 2018, às 16 horas, no Plenário Nereu Ramos, no Anexo II.Ler em página de impressão
Instituto MDT participará da 92ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários de Mobilidade Urbana, que definirá propostas para entrega ao presidente da República e governadores eleitosNos dias 6 e 7 de dezembro de 2018, na sede da Prefeitura, em Belo Horizonte, o diretor nacional Nazareno Stanislau Affonso representará o Instituto MDT na 92ª reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana e 69ª reunião do Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito, definirá propostas para apresentação ao presidente da República e a governadores eleitos e que tomarão posse em 1º de janeiro de 2019. Ler em página de impressão
Em Niterói, no dia 29 de novembro, nova edição do curso Mobilidade Urbana Sustentável, Meio Ambiente e Inclusão SocialO Instituto MDT e a Prefeitura de Niterói, por meio do Departamento de Educação para o Trânsito da empresa pública municipal Niterói Transporte e Trânsito - NitTrans, realizarão na quinta-feira 29 de novembro de 2018, das 9h às 17h, nova edição do ‘Curso Mobilidade Urbana Sustentável, Meio Ambiente e Inclusão Social’. As atividades serão desenvolvidas no Auditório Prefeito João Sampaio – Sobreloja do Prédio da Rodoviária Roberto Silveira, localizada na Praça Fonseca Ramos, no centro da cidade.Ler em página de impressão
Instituto MDT presente ao lançamento de livro e de exposição sobre os 50 anos da Companhia do Metropolitano de São Paulo Em 7 de novembro de 2018, o presidente Emiliano Affonso representou o Instituto MDT e o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), do qual é diretor, na solenidade de lançamento do livro ‘A história do transporte que move São Paulo’, e da exposição Estação Memória, que retratam aspectos relevantes da trajetória cinquentenária do Metrô-SP. A cerimônia reuniu Paulo de Menezes Figueiredo, presidente da Companhia do Metropolitano de São Paulo; Pedro Machado, presidente da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Metrô (AEAMESP), que produziu o livro; Clodoaldo Pelissioni, secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, e o engenheiro e consultor Plínio Assmann, que presidiu o Metrô-SP entre 1971 e 1977. Acompanharam a solenidade dirigentes e ex-dirigentes, técnicos e empregados do Metrô-SP e usuários do sistema que se encontravam na Estação Sé naquele instante. Também estiveram presentes diversos dirigentes e especialistas em metrô brasileiros e de outros países que, entre 6 e 9 de novembro de 2018, se encontravam em São Paulo para a o encontro anual do CoMET (Comunity of Metros).Ler em página de impressão
Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) entregou ao futuro governo o documento ‘Propostas para o Avanço da Mobilidade Urbana Nacional’No dia 15 de novembro de 2018, com o vice-presidente eleito do Brasil, general Antônio Hamilton Martins Mourão, recebeu de dirigentes da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) o documento ‘Propostas para o Avanço da Mobilidade Urbana Nacional’. Integravam a comitiva que entrou o documento o presidente da ANPTrilhos, Joubert Flores; os diretores da entidade, João Gouveia Ferrão Neto, Luis Valença, José Eduardo Copello e José Cláudio Sicco; a superintendente, Roberta Marchesi.Ler em página de impressão
A Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário e entidades recomendam criação do Programa de Reestruturação da Matriz de Transportes do Estado de São PauloA FTRAM – Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário, o Instituto de Engenharia e as demais entidades apoiadoras da iniciativa no âmbito da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo apresentaram aos candidatos ao Governo do Estado de São Paulo carta recomendando a criação de um Programa de Reestruturação da Matriz de Transportes do Estado visando ao “fortalecimento da economia e o bem-estar socioeconômico e ambiental de toda a sociedade”, com duas propostasLer em página de impressão
BNDES, Ministério das Cidades e o Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) apresentam guia que orienta sobre as escolhas de tecnologia e da forma de implantação de projetos de transporteO Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Ministério das Cidades e o Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) lançaram o ‘Guia TPC – Orientações para seleção da tecnologia e implementação de projetos de transporte público coletivo’, elaborado pela empresa Oficina Engenheiros Consultores Associados, uma das mais experientes do país, integrante do Conselho Diretor do Instituto MDT. A publicação foi elabroada com a proposta de contribuir para a qualificação dos sistemas de transporte urbano – considerando, em especial, a escolha do modo de transporte e dos sistemas adequados para cada caso.Ler em página de impressão

.

Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara Federal concede ‘Premio Lúcio Costa de Personalidade do Ano – Categoria de Mobilidade’ a Nazareno Stanislau AffonsoEm reconhecimento ao trabalho desenvolvido em prol da Mobilidade Sustentável, a Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), da Câmara Federal, concedeu ao arquiteto e urbanista Nazareno Stanislau Affonso, diretor nacional do Instituto MDT, o Premio Lúcio Costa de Personalidade do Ano – Categoria de Mobilidade. A entrega do acontecerá em solenidade na Câmara Federal em 11 de dezembro de 2018, às 16 horas, no Plenário Nereu Ramos, no Anexo II.
 
As outras personalidades agraciadas foram o professor doutor Luís Roberto Santos Moraes, participante Especial da Universidade Federal da Bahia (UFBA), na categoria Saneamento, e a Miguel Lobato, coordenador e fundador do Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM Brasil) e membro do Conselho Diretor do Instituto MDT, na categoria Habitação.
 
Também foram premiadas três entidades em categorias análogas às das personalidades. Na categoria Mobilidade foi distinguida a organização BH em Ciclo, criada em 8 de julho de 2012, com a missão de promover a comunicação entre ciclista e poder público, fomentar a conscientização sobre o uso da bicicleta como meio de transporte (urbano), assim como incentivar o seu uso como modal capaz de mitigar os efeitos do uso excessivo do transporte motorizado privado na cidade de Belo Horizonte. Na categoria Saneamento, o prêmio foi para a Federação Nacional dos Urbanitários, em na categoria Habitação, ao Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST).
 

Voltar

.

Instituto MDT participará da 92ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários de Mobilidade Urbana, que definirá propostas para entrega ao presidente da República e governadores eleitosO diretor nacional Nazareno Stanislau Affonso representará o Instituto MDT na 92ª reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Mobilidade Urbana e 69ª reunião do Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito, marcada para os dias 6 e 7 de dezembro de 2018, na sede da Prefeitura, em Belo Horizonte, definirá propostas para apresentação ao presidente da República e a governadores eleitos e que tomarão posse em 1º de janeiro de 2019.
 
A parte substantiva do encontro será desenvolvida na tarde do primeiro dia e na manhã do segundo dia. No início da tarde de 6 de dezembro, acontecerá a sessão intitulada A Política Nacional de Mobilidade: o que precisamos garantir junto ao Novo Governo Eleito (Presidente e Governadores), com coordenação de Rodrigo Tortoriello, secretário de Transporte e Trânsito de Juiz de Fora, presidente do Fórum Nacional e do Fórum Mineiro de Secretários; Inácio Bento de Morais Júnior, secretário nacional de Mobilidade do Ministério das Cidades, e Carlos Batinga, que já presidiu o Fórum Nacional de Secretários e até recentemente foi secretário de Mobilidade de João Pessoa, sendo também membro do Conselho Diretor do Instituto MDT.
 
No final da tarde do primeiro dia, outra sessão se encarregará da Consolidação da proposta transporte e trânsito para apresentação ao Presidente da República e Governadores. Na manhã do segundo dia, o debate terá sequência com a sessão intitulada A Política Nacional de Mobilidade: o que precisamos garantir junto ao Novo Governo Eleito (Presidente e Governadores), novamente com a participação na mesa de coordenação de Rodrigo Tortoriello, Inácio Bento de Morais Júnior e Carlos Batinga.
 
PROPOSTAS
 
O diretor nacional do Instituto MDT, Nazareno Affonso destacou a importância da reunião dos dias 6 e 7 de dezembro de Belo Horizonte. “O novo governo federal ainda não definiu como será sua atuação na área de Mobilidade Urbana e nas outras áreas de diretamente ligadas à gestão das cidades, hoje afetas ao Ministério das Cidades. Na verdade, três semanas depois das eleições, há noticias ainda muito primárias sobre a possibilidade de o Ministério das Cidades deixar existir, desmembrado em varias secretarias de outros ministérios”.
 
Ele acrescenta: “De todo modo, nós, que atuamos no setor há décadas e buscamos construir soluções, e os secretários, que têm, neste momento, a responsabilidade objetiva de atuar em seus respectivos municípios, precisamos, coletivamente, elaborar, encaminhar e cobrar propostas concretas, delimitando uma pauta comum em torno da qual seja possível edificar os diálogos com os novos governantes nas esferas federal e estadual”.
 
O dirigente assinala ainda: “Acredito que os debates serão muito produtivos, pela presença de um conjunto grande de especialistas, entre os quais eu destaco Carlos Batinga, membro do Conselho Diretor do Instituto MDT, engenheiro civil formado pela Universidade Federal da Paraíba, com especialização em Planejamento de Transportes pela Universidade Federal de Pernambuco, e que há várias décadas se dedica a compreender as questões da mobilidade, atuando tanto no executivo como no legislativo, e que foi presidente do Fórum Nacional de Secretários de Mobilidade Urbana”.
 
Por fim, Nazareno Affonso lembra que o Instituto MDT também preparou um documento com propostas aos futuros governantes, o qual pode ser lido por meio de link ao final desta matéria. “Certamente pontos incluídos entre nossas proposições serão úteis para as discussões em Belo Horizonte”.
 
O documento a que se referiu o diretor nacional do Instituto MDT tem por título: Manifesto do Instituto MDT para as eleições de 2018 – Priorizar a mobilidade sustentável e a paz no trânsito é garantir transporte como direito social, qualidade de vida, ambiente saudável e fomentar o desenvolvimento econômico!
 

Voltar

.

Em Niterói, no dia 29 de novembro, nova edição do curso Mobilidade Urbana Sustentável, Meio Ambiente e Inclusão SocialO Instituto MDT e a Prefeitura de Niterói, por meio do Departamento de Educação para o Trânsito da empresa pública municipal Niterói Transporte e Trânsito - NitTrans, realizarão na quinta-feira 29 de novembro de 2018, das 9h às 17h, nova edição do Curso Mobilidade Urbana Sustentável, Meio Ambiente e Inclusão Social. As atividades serão desenvolvidas no Auditório Prefeito João Sampaio – Sobreloja do Prédio da Rodoviária Roberto Silveira, localizada na Praça Fonseca Ramos, no centro da cidade.
 
O programa do Curso Mobilidade Urbana Sustentável, Meio Ambiente e Inclusão Social foi criado em 2009, ainda na época da Articulação MDT e veio sendo atualizado, com a inserção de conteúdos que retratavam os avanços e retrocessos na mobilidade urbana nos últimos anos, em especial os conceitos e dispositivos trazidos pela Lei de Mobilidade Urbana (Lei nº 12.587/2012) e os desafios da inclusão na Constituição do transporte como Direito Social.
 
Em 2017, houve uma reestruturação e ampliação temática do curso, de modo a incorporar também uma abordagem ambiental, voltada à redução de emissões de gases de efeito local (GEL) e gases de efeito estufa (GEE).
 
CARACTERÍSTICAS
 
O Curso Mobilidade Urbana Sustentável e Inclusão Social é desenvolvido em um único dia para turmas entre 40 e 55 integrantes. Como material de base, cada aluno recebe duas publicações do Instituto MDT: o livro Mobilidade, Inclusão e Direito à Cidade: Novas Conquistas e a cartilha em quadrinhos A cidade é das pessoas e não dos carros, e recebem uma biblioteca digital de textos e vídeos sobre a mobilidade sustentável.
 
Na parte da manhã é ministrado o conteúdo teórico e, na parte da tarde, os alunos se dividem em grupos, criam uma problemática de cidade fictícia para a qual apontam problemas reais que vivenciam nas localidades em que moram. A identificação e caracterização dos problemas são feitas de forma mais apropriada com os conhecimentos teóricos obtidos na parte da manhã.
 
Os participantes são estimulados a formular um diagnóstico da situação, criam um nome fictício da cidade, sua população e outras informações que achem relevantes e sobre ela elaboram um programa de governo para solucionar os problemas. Em seguida, escolhem entre os integrantes de cada grupo um ‘candidato a prefeito’. Esses conteúdos são colocados em um PowerPoint e cada grupo faz ao coletivo a apresentação de seu programa em não mais de 15 minutos. Essa apresentação é filmada e disponibilizada no canal de Youtube do Instituto MDT.
 
Ao final do conjunto de apresentações há uma eleição pelos integrantes da melhor proposta e o ‘prefeito’ ganha do Instituto MDT uma publicação de Mobilidade Urbana. Concluída a atividade, os integrantes fazem uma avaliação individual do curso e é entregue o diploma do curso assinado pelo Instituto MDT e pela entidade parceira ou patrocinadora.
 
A proposta do curso é permitir aos participantes maior contato com as propostas que o Instituto MDT vem defendendo e elaborando na luta social. Mesmo que os participantes não tenham familiaridade profissional ou política com o tema, é certo que têm vivência das questões de mobilidade nas localidades onde moram e, com a metodologia do curso, são capazes de compreender aspectos teóricos dos problemas que experimentam no dia a dia e podem formular e apresentar suas propostas. A intenção é que se capacitem para contribuir no enfrentamento do desafio do país de conquistar o transporte de qualidade como direito social e a implantação da mobilidade sustentável com ênfase na participação social e no da qualidade ambiental.
 
O curso visa constituir um conjunto de multiplicadores (os instrutores) e subsidiar a atuação dos movimentos sociais, de trabalhadores em transporte, de organizações da mobilidade ativa, gestores públicos e privados, entre outros segmentos. O desenvolvimento dos cursos também faz parte da estratégia do Instituto MDT de garantir recursos para suas atividades.
 

Voltar

.

Instituto MDT presente ao lançamento de livro e de exposição sobre os 50 anos da Companhia do Metropolitano de São Paulo O presidente Emiliano Affonso representou o Instituto MDT e o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), do qual é diretor, na solenidade de lançamento do livro A história do transporte que move São Paulo, e da exposição Estação Memória, que retratam aspectos relevantes da trajetória cinquentenária do Metrô-SP.
 
A solenidade aconteceu no mezanino da Estação Sé, na tarde de 7 de novembro de 2018. O pequeno palco da cerimônia reuniu Paulo de Menezes Figueiredo, presidente da Companhia do Metropolitano de São Paulo; Pedro Machado, presidente da Associação de Engenheiros e Arquitetos de Metrô (AEAMESP), que produziu o livro; Clodoaldo Pelissioni, secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, e o engenheiro e consultor Plínio Assmann, que presidiu o Metrô-SP entre 1971 e 1977. Acompanharam a solenidade dirigentes e ex-dirigentes, técnicos e empregados do Metrô-SP e usuários do sistema que se encontravam na Estação Sé naquele instante.
 
Também estiveram presentes diversos dirigentes e especialistas em metrô brasileiros e de outros países que, entre 6 e 9 de novembro de 2018, se encontravam em São Paulo para a o encontro anual do CoMET (Comunity of Metros), entidade que congrega representantes de 19 sistemas metroferroviários ao redor do mundo.
 
Com mais de 200 páginas e dezenas de fotos históricas sobre os 50 anos da Companhia do Metropolitano de São Paulo, o livro A história do transporte que move São Paulo está organizado em quatro capítulos e destaca projetos urbanos da Cidade de São Paulo, os episódios que marcaram a implantação da rede metroviária, e todo o cuidado dedicado pelo Metrô-SP à população, incluindo as tarefas de manutenção do sistema, e o papel das estações do sistema para a população.
 
A exposição Estação Memória resgata aspectos significativos da história do primeiro metrô brasileiro por meio de painéis, totens e telas interativas, instalados em um ‘túnel’ de 40 metros (que emula um túnel do próprio metrô) em que o usuário pode conhecer a evolução tecnológica do sistema de transporte mais usado pelos paulistanos, atualmente um dos mais modernos do mundo.
 
No túnel, o visitante pode ir ao passado por meio de fotos, objetos e vídeos históricos organizados em três módulos: A cidade antes do Metrô, Saindo do papel e A todo vapor. Em cada um deles foram abordados temas como tecnologia, infraestrutura, cultura, transformações urbanas, atendimento aos usuários e a importância dos funcionários. Informações e imagens que mostram a complexidade das obras de expansão estão expostas pelo ambiente. A exposição ficará aberta ao público por dois anos, sempre de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 18h.
 
O visitante poderá ainda experimentar a sensação de estar na cabine e operar um dos trens da primeira frota usada pelo Metrô: o A35. Uma reprodução da cabine do trem em tamanho real foi montada no mezanino da Estação Sé e, ao longo da exposição, terá um painel no qual será possível simular a operação do trem. Durante a visita à Estação Memória, os usuários podem também conhecer a maquete da rede atual, que identifica as estações de metrô inseridas na escala da cidade.
 
O sistema metroviário paulista conta hoje com seis linhas, 96 quilômetros de extensão (com 415 mil metros de trilhos) e 84 estações, todas obras construídas pela Companhia do Metropolitano de São Paulo. Desde sua inauguração, o Metrô-SP já transportou 28 bilhões de passageiros.
 

Voltar

.

Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) entregou ao futuro governo o documento ‘Propostas para o Avanço da Mobilidade Urbana Nacional’Em reunião no dia 15 de novembro de 2018 com o vice-presidente eleito do Brasil, general Antônio Hamilton Martins Mourão, dirigentes da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) entregaram ao futuro governo o documento Propostas para o Avanço da Mobilidade Urbana Nacional.
 
Integravam a comitiva o presidente da ANPTrilhos, Joubert Flores; os diretores da entidade, João Gouveia Ferrão Neto, Luis Valença, José Eduardo Copello e José Cláudio Sicco; a superintendente, Roberta Marchesi. O documento indica cinco temas prioritários para reflexão, relacionados à mobilidade urbana nacional. Os temas se baseiam em um novo enfoque de investimento governamental, prioritário em sistemas sobre trilhos, como espinha dorsal de uma ampla rede de transporte integrada com outros modais.
 
Os temas são os seguintes: 1) Elaboração de um abrangente Plano de Estruturação Estratégica da Mobilidade Urbana Nacional, com foco no transporte de passageiros sobre trilhos; 2) Prioridades de investimentos no Plano de Mobilidade Urbana Nacional; 3) Fortalecer marcos regulatórios – Segurança Jurídica; 4) Incentivo para a modernização e ampliação dos sistemas de transporte de passageiros sobre trilhos; 5) Instituição de taxas de financiamento mais atrativas para projetos estruturantes de transporte de passageiros sustentável.
 
A abertura do documento salienta: “A adoção das cinco medidas será capaz de oferecer à Nação brasileira, em pouco tempo, uma verdadeira infraestrutura estratégica de mobilidade nacional, conectando todas as médias e grandes cidades e, também, as regiões metropolitanas. Ao mesmo tempo, abrirá caminho para que as pequenas cidades possam, efetivamente, interligar suas redes de transporte com esse mesmo enfoque de eficiência e regularidade – uma das principais características do transporte de passageiros sobre trilhos”.
 

Voltar

.

A Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário e entidades recomendam criação do Programa de Reestruturação da Matriz de Transportes do Estado de São PauloA FTRAM – Frente Parlamentar em Prol do Transporte Metroferroviário, o Instituto de Engenharia e as demais entidades apoiadoras da iniciativa no âmbito da ALESP – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo apresentaram aos candidatos ao Governo do Estado de São Paulo sua contribuição para a retomada do desenvolvimento do Estado com benefícios contundentes para a superação da grave crise socioeconômica instaurada no país.
 
A carta recomenda a criação de um Programa de Reestruturação da Matriz de Transportes do Estado visando ao “fortalecimento da economia e o bem-estar socioeconômico e ambiental de toda a sociedade”, com duas propostas.
 

Voltar

.

BNDES, Ministério das Cidades e o Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) apresentam guia que orienta sobre as escolhas de tecnologia e da forma de implantação de projetos de transporteCom a proposta de contribuir para a qualificação dos sistemas de transporte urbano – considerando, em especial, a escolha do modo de transporte e dos sistemas adequados para cada caso, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Ministério das Cidades e o Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) lançaram o Guia TPC – Orientações para seleção da tecnologia e implementação de projetos de transporte público coletivo, elaborado pela empresa Oficina Engenheiros Consultores Associados, uma das mais experientes do país, integrante do Conselho Diretor do Instituto MDT.
 
Os realizadores explicam que a publicação, de 134 páginas, se propõe a responder algumas das perguntas mais significativas quando da implantação de um novo sistema de transporte de massa. Tais indagações se referem ao tipo de tecnologia a ser escolhida – se BRT, VLT ou metrô—, à diferença entre um corredor e uma faixa exclusiva de ônibus, ou sobre como conseguir financiamento para o projeto ou, ainda, se a operação será estatal, por concessão ou por Parceria Público-Privada (PPP).
 
O Guia TPC está organizado em três capítulos e apresenta três conjuntos de anexos. O primeiro capítulo trata da caracterização de sistemas de transporte público coletivo, considerando o universo de sistemas, conceitos básicos de implantação de rede, sistemas de transporte público coletivo por ônibus (faixa exclusiva à direita, corredor central, faixa exclusiva à esquerda, Bus Rapid Transit –BRT), sistemas de transporte sobre trilhos (Veículo Leve sobre Trilhos – VLT, monotrilho, metrô e trem urbano e quadro síntese e exemplos) e outros sistemas de transporte público (teleférico, barcas, aeromóvel e um quadro geral dos sistemas).
 
O segundo capítulo trata do processo de seleção dos sistemas de transporte público coletivo, considerando três etapas: determinação das possíveis alternativas de transporte, comparação das alternativas (atributos associados a cada grupo de atores e matriz de decisão) e definição da alternativa mais adequada considerando outros condicionantes.
 
A implementação de projetos de transporte público coletivo é assunto do terceiro e último capítulo. Nessa parte, é oferecida uma visão geral do processo e são abordadas as atividades associadas ao nível estratégico, levando em conta motivação, diagnóstico e o Plano de Mobilidade Urbana (exigência da Lei 12.587/12), seleção do sistema de transporte, projeto funcional e seleção de modelo de prestação de serviço 171. São também abordadas as atividades associadas ao nível executivo, considerando adequação da rede, financiamento, projeto e implantação da infraestrutura, estruturação operacional e modelos de prestação dos serviços.
 
O primeiro conjunto de anexos oferece uma descrição dos atributos dos sistemas de transporte público coletivo. O segundo conjunto diz respeito à montagem da matriz de decisão. Orientação para o projeto funcional é o objetivo do terceiro e último conjunto de anexos.
 

Voltar